Ismael e Agar: duas vidas e seis lições Gênesis 21.14-16,19





1UM  momento   em   nossa   vida   em QUE ANDAMOS ERRANTES PELO DESERTO
a.  Davi passou pelo deserto (ISm 23.14)
b.  Moisés passou pelo deserto (Êx 3.1).
c.  Paulo passou pelo deserto (G11.17)
d.  Jesus passou pelo deserto (Mt 4.1).

2 Existe um  MOMENTO   EM  QUE SE ACABA TODA A AGUA DO NOSSO VASO
a.  A experiência de Jó (Jó 2.8).
b.  A experiência de Elias (1RS 19.4).
c.  A experiência da Sunamita (2Rs 4.20).
d. A experiência de Caná da Galileia (Jo 2.3).

3. EXISTE UM MOMENTO  EM QUE TODAS AS NOSSAS ESPERANÇAS SE ACABAM
a.  A esperança do povo de Israel (Ez 37.11).
b.  A esperança de Moisés em Números 14.5.
c.  A esperança da viúva de Naim (Lc 7.12).
d.  A esperança da mulher do fluxo de sangue (Mc 5.26)

4. EXISTE UM MOMENTO EM QUE NÃO PODEMOS FAZER NADA:  NEM POR NÓS NEM
PELOS QUE NOS CERCAM
a.  Noé nada pôde fazer pelos  seus  que ficaram fora da arca (Gn 7.16).
b.  Abraão nada pôde fazer pelos sodomitas (Gn 18.23,32).
c.  Samuel nada pôde fazer por Saul (ISm 16.1).
d.  Eliseu nada pôde fazer por Geazi (2Rs 5.25-27).

5. EXISTE UM MOMENTO EM NOSSA VIDA QUE A ÚNICA COISA QUE SABEMOS E PODEMOS FAZER É LEVANTAR A VOZ E CHORAR
a.  Foi assim algumas vezes com Davi (ISm 30.4).
b.  Foi assim com Ana (ISm 1.10).
c.  Foi assim com o rei Ezequias (Is 38.3).
d.  Nesse momento, Deus envia um anjo ao nosso encon­tro e nos mostra uma fonte de água (Gn 21.17).

6. NAQUELE MOMENTO DE DESESPERO, AGAR OUVE A SOLENE RECOMENDAÇÃO DO ANJO
a.  Levanta-te (Gn 21.18).
b.  Vai até o poço (Jo 4.1-3).
c.  Enche de água a tua vasilha (SI 65.9).
d.  Dá de beber ao menino (Ct 5.1).







Eliezer, um tipo do Espírito Santo Gênesis 2 4 .1 -2 7




1.  PRINCIPAIS  ELEMENTOS TIPOLÓGICOS ENCONTRADOS EM GÊNESIS 24
a. Abraão,  como pai de Isaque, tipifica Deus,  Pai do ho­mem Jesus  (Gn 24.4).
b. Isaque tipifica Jesus (Gn 2 2 .9 -1 2 ).
c.  Rebeca tipifica a Igreja (Gn 2 4 .1 5 ).
d. Eliezer é um tipo do Espírito Santo.

2. A PESSOA DE ELIEZER
a.  O principal servo de Abraão (Gn 15.2).
b. Seu nome significa Deus socorre ou Deus auxilia.
c. Damasceno, ou seja, natural de Damasco (Gn 15.2).

3. AS QUALIDADES DE ELIEZER
a.  Fiel e de absoluta confiança de Abraão (Gn 24.2a)
b.  Piedoso e temente a Deus (Gn 24.2b).
c. Obediente e determinado (Gn 24.3)

4. A TAREFA DE ELIEZER
a.  Foi designado para viajar até Harã, terra dos antepas­
sados de Abraão, depois que saíram de Ur dos caldeus (Gn 2 4 .4 ).
b.  A longa viagem de centenas de quilômetros feita por Eliezer aponta para a grande distância entre o céu e a terra (Gn 2 4 .1 0 ).
c.  Foi designado para buscar uma noiva para Isaque,  o filho  de  Abraão,  um  símbolo  da  Igreja  (Jo  3 .2 9 ;  Ap 1 9 .7 ;2 2 .1 7 ).
d.  Essa tarefa seria feita sob juramento (Gn 24.9).

5. O SUCESSO DA MISSÃO DE ELIEZER
a.  Eliezer  era  a pessoa  que  Deus  escolhera para  trazer Rebeca, a esposa de Isaque (Gn 2 4 .1 2 ).
b.  Os  presentes  que  Eliezer levou  para  a  futura  noiva apontam para os dons e favores de Deus concedidos pelo Espírito Santo à Igreja (2Co 1.22).
c.  O  encontro  de  Eliezer.  Rebeca  e  Isaque  no  campo aponta para o encontro da Igreja com Cristo, no Dia do Arrebatamento (lT s 4 .1 6 ,1 7 ).




Melquisedeque em quatro dimensões Gênesis 14.18-24





1. MELQUISEDEQUE ERA REI (Gn 14.18)
a.  Ele era rei de  Salém,  um antigo  nome  de Jerusalém (Gn 14.18a).
b.  Ele era um rei piedoso (Gn 14.18b).
c.  Como rei, era um símbolo de Jesu s Cristo, o Rei dos reis (Gn 14.18c).

2. MELQUISEDEQUE ERA SACERDOTE (Gn 14.18)
a.  Era um sacerdote dotado de senso profético, pois an­dava com pão e vinho, emblemas da Ceia do Senhor (Gn 14.18a).
b.  Era um sacerdote abençoador, pois pronunciou uma palavra de bênção sobre Abraão (Gn 14.19).
c.  Como  sacerdote,  era  uma  figura  de  Jesu s  Cristo,  o Sumo Sacerdote da Igreja (Gn 14.19b).

3. MELQUISEDEQUE FOI UM NOTÁVEL TIPODE CRISTO
a.  Sem pai  e  sem mãe,  isto  é,  de pai  e mãe  ignorados, para tipificar Jesu s  que não teve pai humano,  e não teve mãe divina.
b.  Sem genealogia, para tipificar a divindade e a preexis­tência de Cristo.
c.  Sem princípio e sem fim de dias, isto é, sem datas de nascimento e morte conhecidas, para tipificar a eter­nidade de Cristo (Jo 1.1-3).

4. MELQUISEDE NÃO ERA A PESSOA QUE MUITOS ALEGAM SER
a.  Não era Sem, pois seu pai era conhecido (Hb 7.3,35).
b.  Não era um anjo, pois anjos não podem ser sacerdotes.
c.  Não era Jesus, pois a genealogia de Cristo é descrita na Bíblia (Mt 1.1-17; Lc 3.23-38).

Teologia Para Pentecostais em Autoplay

Descrição

Teologia Para Pentecostais - Walter Brunelli 


Teologia para Pentecostais - Uma Teologia Sistemática Expandida em 04 volumes - capa dura

Em toda a história do Pentecostalismo no Brasil, nunca antes um teólogo discorreu sobre a Teologia Sistemática Pentecostal de maneira mais clara, mais substanciosa e completa do que o pastor Walter Brunelli. Esta é a primeira teologia pentecostal aplicada escrita por um brasileiro.

Os quatro volumes publicados pela Editora Central Gospel, e abordam como nenhuma outra escrita originalmente em língua portuguesa, os 10 temas essenciais da Teologia Sistemática, sob a ótica pentecostal. São eles:

Volume 1:
História da Teologia Cristã;
Bibliologia – Estudo sobre as Escrituras;
Teontologia – Estudo sobre o ser de Deus.

Volume 2:
Cristologia – Estudo sobre a pessoa de Cristo; 
Pneumatologia – Estudo sobre o Espírito Santo;
Angelologia – Estudo sobre os anjos.

Volume 3: 
Antropologia – Estudo sobre o homem;
Hamartiologia – Estudo sobre o pecado;
Soteriologia – Estudo sobre a salvação.

Volume 4: 
Eclesiologia – Estudo sobre a Igreja;
Escatologia – Estudo sobre as últimas coisas; 
e História do Movimento Pentecostal.

Para enriquecer ainda mais a bagagem cultural dos leitores e estudiosos desta obra, o autor distribuiu em suas páginas mais de 300 gráficos, tabelas e ilustrações, além de centenas de citações dos originais grego e hebraico


  Baixar  os Arquivos

Como Gravar os  Arquivos em Cd

Abraão aos 99 anos de idade Gênesis 17.1,2







1. DIFERENÇA ENTRE TEMPO E ETERNIDADE
a.  A eternidade pertence a Deus, e o tempo aos homens.
b.  A  Bíblia  menciona  duas  eternidades:  a  incriada  e  a criada (Sl 90.2).
c.  Deus habita na plenitude da eternidade, e por isso é chamado de Deus Eterno, ou simplesmente de Eterno (Dt 33.27).
d.  Moisés escreveu que a duração média da vida humana compreende o período de tempo entre 70 e 80 anos (Sl 90.9-10).


2. DIFERENTES ÉPOCAS NA VIDA DE ABRAÃO
a.  Foi chamado por Deus aos 75 anos de idade (Gn 12.4)

b.  Foi pai de Ismael aos 86 anos de idade e de Isaque aos 100 anos de idade (Gn 16.16; Gn 21.5).
c.  Morreu aos 175 anos de idade (Gn 25.7).
d.  Deus  lhe  apareceu  de  uma maneira  especial  aos  99 anos de idade (Gn 17.1).


3. ABRAÃO AOS 99 ANOS DE IDADE  (Gn 1 7 .1 )
a.  Isto significa que faltava apenas um ano para ele atin­gir um século de vida.
b.  Esta é uma idade rara e crucial.
c.  Noventa e nove anos é uma ocasião ímpar na vida do ser humano, visto que a maioria absoluta dos mora­
dores da Terra jamais a alcança.
d. Noventa e nove anos levam o homem a refletir tanto sobre o que já passou, quanto sobre a próxima even­
tual  surpresa,  que  vem  a  ser  atingir  um  século  de existência.
e.  Espera-se  de  quem completa cem anos  de idade  um exuberante exemplo de vida, posto que houve tempo bastante.
i.  Para aprender.
ii.  Para refletir.
iii.  Para amadurecer.
iv. Para ser sábio e prudente.
v.  Para ser lutador e herói.



4. UM TEMPO DE RENOVAÇÃO
a.  Embora para Abraão 99 anos de idade parecesse o fim de
tudo, para Deus era um tempo de renovação (Gn 17.1).
i.  De sua fé (Gn 17.2).
ii.  Do pacto de Deus com ele (17.4).
iii.  De sua esperança e motivações interiores (Gn 17.5).b. O Deus da Bíblia é um Deus de renovação para o ho­mem (Gn 17.6).
i.  Da mente e do espírito (Gn 17.1).
ii.  Das forças: físicas, morais e espirituais (Gn 18.10).
iii.  Da fé (Hb 11.18b).
c. O Deus da Bíblia nunca nos abandona (Mt 28.20).
i.  Ele é uma Pessoa fiel (Dt 7.9).
ii.  Sua Palavra é uma Palavra fiel (lTm 1.15; 4.9).
iii.  Sua aliança é uma Aliança fiel (Dt 7.9).


5.  GRANDES DECLARAÇÕES DE DEUS  (Gn 17.1)
a. Eu sou o Deus todo-poderoso (Gn 17.1a).
i.  Em hebraico se lê EL-SHADDAI.
ii.  Este é o Deus Onipotente (SI 91.1).
iii.  Este é o Deus que não conhece limites (Dt 29.3).
b. Anda na minha presença (Gn 17.1b).
i.  Isto  significa andar  em  comunhão  com  Ele  (ICo 1.9).
ii.  Isto significa andar por fé Nele (Hb 2.4).
iii.  Isto significa andar em obediência a Ele (Rm 16.19).
c. E sê perfeito (Gn 17.1c)
i.  Perfeição de caráter (Gn 17.3)
ii.  Perfeição de sentimento (Gn 17.18).
iii.  Perfeição de atitudes (Gn 17.23)


6. A POSTURA DE ABRAÃO
a.  Aos  99  anos  de  idade,  Abraão  conservava a sua hu­mildade.
i.  Diante de Deus (Gn 17.3).
ii.  Diante dos homens (Gn 17.25-27)

b. Aos 99 anos de idade, Abraão conservava a sua inte­gridade (Gn 14.22,23).
i.  Não fez alianças  com  os povos  ímpios  das terras por onde passou (Gn 14.22).
ii. Deles nunca dependeu (Gn 14.23).
c. Aos 99 anos de idade, Abraão conservou sua santidade(Gn 15.1).
i.  Por isso jamais deixou de edificar seu altar (Gn 12.7).
ii.  Por isso foi chamado de amigo de Deus (Tg 2.23).



Abraão, um modelo de servo Gênesis 11.26







1. ABRAÃO FOI SERVO ACIMA DAS CIRCUNSTÂNCIAS (Gn 13.2)
a. Era servo, apesar de rico (Gn 13.2).
b. Era servo, apesar de amigo de Deus (Tg 2.23).
c. Era servo, apesar de pai da fé (Rm 4.12).
 

2. ABRAÃO FOI UM SERVO MODELO
a. Um servo modelo é um servo humilde (At 20.19).
b. Um servo modelo é o que está sempre pronto a obedecer (Cl 3.22).
i.  À voz de Deus (Êx 19.5; Jr 7.23).
ii. À Palavra de Deus (Dt 1.27; Is 42.24).

iii.  À vontade de Deus (Gn 22.1).
iv.  Às ordens de Deus (Gn 8.22; Hb 11.8; Êx 34.4; At 26.19). 


3. ABRAÃO FOI UM SERVO PLENAMENTE  DEPENDENTE
a.  Um servo que não questionava com o Senhor (Gn 12.4).
b.  Um servo que agradava ao Senhor (Gn 13.14,15).
c.  Um servo que dependia dabênção do Senhor (Gn 12.3).
d.  Um servo que dependia dos milagres do Senhor (Gn 18.14).
e.  Um servo que se recusou a fazer certas escolhas, sa­bendo que dependia do Senhor.
f.  Um servo que foi honrado pelo Senhor (Gn 14.19).


4. UM SERVO QUE NÃO RECUSOU O CAMINHO DO SACRIFÍCIO (Gn 22.1,2).
a.  O sacrifício de deixar seu bem-estar (Gn 12.1a).
b.  O sacrifício de deixar sua terra (Gn 12.1b).
c.  O sacrifício de perder seus amigos (Gn 12.2a).
d.  O sacrifício de privar-se de seu próprio filho (Gn 22.12)



Seis dimensões da obediência de Abraão Gênesis 12.1-4






1.  SUA OBEDIÊNCIA ERA ESPONTÂNEA
a.  Não existe qualquer indício de que Abraão obedeceu a Deus sob pressão (Gn 12.4a).
b.  A espontaneidade de sua obediência deriva do fato de que  agiu  naturalmente,  como  resposta  aos  grandes desafios de Deus:
i.  O desafio de deixar Ur dos caldeus (Gn 12.5c).
ii.  O  desafio  de  partir  para  um  lugar  desconhecido (Hb 11.8).
iii.  O desafio de ser generoso e pai sob circunstâncias absolutamente negativas (Gn 13.8).
iv. O desafio de sacrificar Isaque (Gn 22.1,2)



2. SUA OBEDIÊNCIA ERA BÍBLICA(Rm 1.5; 6.17; 10.16,17)
a.  Obediência bíblica é a que é acompanhada de fé (Rm 1.4).
b.  Obediência bíblica é a que realiza uma obra completa,
como Noé na construção da arca (Hb 11.7).
c.  Obediência bíblica é a que e feita por amor (1 Pe 1.22).
 

3. SUA OBEDIÊNCIA FOI SACRIFICIAL
a. Ele sacrificou suas tradições (Gn 12.1a)
b. Ele sacrificou seu bem-estar (Gn 12.1b).
c. Ele sacrificou sua família (Gn 12.1c).
 

4. SUA OBEDIÊNCIA FOI FRUTÍFERA
a.  Por sua obediência ele se tomou amigo de Deus (Tg 2.23).
b.  Milhões  de  pessoas  se  inspiram  em  sua  obediência (Gn 13.3).
 

5. SUA OBEDIÊNCIA FOI MODELAR (Hb 11.8).
a.  Obedeceu como homem (Gn 11.8a).
b.  Obedeceu como crente (Gn 11.8b).
c.  Obedeceu como pai (Gn 1.12).
 

6. SUA OBEDIÊNCIA FOI PERFEITA
a.  A obediência perfeita é consciente (Gn 12.4a).
b.  A obediência perfeita é total (Gn 12.4b).
c.  A obediência perfeita é teocêntrica (Gn. 12.4c)



Seis reflexões sobre a chamada de Abraão Hebreus 11.8



1.  ABRAÃO FOI CHAMADO POR DEUS PESSOALMENTE  (Gn 12.1)

a.  Nem todos  os  ilustres personagens  da Bíblia foram chamados por Deus pessoalmente.
i.  Veja  o  exemplo  de  Jo sué  e  Arão,  chamados  por intermédio de Moisés  (Êx 4 .1 4 -1 6 ).
ii.  O exemplo de Eliseu, chamado por intermédio de Elias  ( lR s 1 9 .1 9 ).
iii.  O  exemplo de Timóteo,  chamado por intermédio de Paulo  ( lT m 1.2).
b.  Isto  mostra  a  importância  da  vida  de  Abraão  para Deus (Gn 12.1).
i.  Abraão foi um marco dispensacional. Ele iniciou 
a Dispensação da Promessa (Gn 1 2 .2 ).
ii.  Abraão foi um marco de fé (Rm 4 .9 ,1 2 ,1 3 ).
iii. Abraão foi um marco de obediência,  (Gn 2 6 .5 ).
c.  Isto aponta para a sua relevante tarefa (Gn 12.3b).
i.  Abraão foi o principal peregrino a serviço de Deus (Gn 1 2 .1 ).
ii.  Abraão ofereceu seu filho para Deus  (Gn 2 2 .1 2 ).
iii. Abraão tornou-se o pai da nação hebreia (Jo 8.53).

2.  ABRAÃO FOI CHAMADO POR DEUS EM CIRCUNSTÂNCIAS ESTRANHAS

a. Ele residia em uma terra absolutamente pagã (Ne 9.7).
i.  A natureza da terra não  constitui problema para Deus  (Gn 12 .1 ).
ii.  Jerem ias e Ester nasceram em Jerusalém ( J r 1.3; Et 2.5-7).
iii. Saulo nasceu na distante cidade de Tarso (At 9.11).
b. Abraão estava com 75 anos de idade (Gn 12.4).
i.  Idade jamais foi problema para Deus. Ele convoca tanto o velho quanto o moço.
ii.  Ele pode chamar jovens, como Samuel, Davi, Daniele Timóteo.
üi.Ele pode chamar anciãos como Abraão e Moisés.
c.  Ele  era  casado  com  uma  mulher  idosa  e  estéril  (Gn 1 8 .1 1 ).
i.  Esterilidade não é problema para Deus.
ii.  Deus não  conhece coisas nem causas impossíveis (Mt 1 9 .2 6 ).
iii.  Ele anulou a esterilidade de Sara, Ana, Isabel etc.

3. ABRAÃO FOI CHAMADO  POR DEUS SEM RECEBER UM ROTEIRO  ESPECÍFICO DE SUA MISSÃO  (Hb'11.8)

a. Ele deveria viver por fé (Hb 11.8).
i.  O justo viverá por fé  (Hc 2.4).
ii.  O justo por fé viverá (Rm 1 .1 7 ).
iii.  O justo viverá da fé (Hb 1 0 .3 8 ).
b.  Ele deveria andar por fé (Hb 11.9).
i.  Andamos por fé, e não por vista (2Co 5.7).
ii.  Os que andam por fé nunca perdem o alvo (Fp 3.14).
iii.  Os que andam por fé são aperfeiçoados por Deus (Gn 1 7 .1 ,2 ).
c. Ele deveria produzir frutos por fé (Hb 11.9).
i.  Como  aconteceu  com  Noé,  que  construiu  a  arca por fé  (Hb  11.7).
ii.  Como aconteceu com Moisés, que conduziu Israel por 4 0 anos, por fé  ( J s 14 .7 ).
iii.  Como  aconteceu  com  Daniel,  que  se  tornou  mui desejado por Deus, por fé (Dn 1 1 .1 0 ).

4. ABRAÃO FOI CHAMADO POR DEUS, TENDO QUE PAGAR UM ALTO  PREÇO

a.  O preço da obediência (Hb 11.8).
i.  Ele obedeceu,  deixando Ur dos caldeus  (Gn 1 2.1)
ii.  Ele obedeceu, deixando Harã (Gn 12.3).
iii.  Ele obedeceu, deixando marcas de sua peregrinação (Hb 11 .9 ).
b.  Pagou o preço da determinação.
i.  Ele determinou construir altares (Gn 1 3 .1 8 ).
ii.  Ele determinou manter comunhão com Deus  (Gn 13.4b).
iii.Ele  determinou  desfrutar  da  amizade  com  Deus (Tg 2 .2 3 ).
c.  O preço da submissão.
i.  Submissão  quando  liberou  Agar  e  Ism ael  (Gn2 1 . 12 ).
ii.  Submissão quando ofereceu Isaque no monte (Gn 2 2 .1 -3 ).
iii.  Submissão  quando  mandou  buscar  uma  esposa para seu filho (Gn 2 4 .1 -4 ).

5. ABRAÃO FOI CHAMADO  POR DEUS COM CARACTERÍSTICAS DEFINIDAS

a.  Foi  chamado  para  dirigir-se  a  uma  terra  distante  e totalmente desconhecida (Gn 12.1).
b.  Foi  chamado para manter comunhão  com  Deus  por meio da solidão (Hb 1 1 .1 4 ).
c.  Foi chamado para receber promessas únicas (Hb 1 1 .13b).

6. ABRAÃO RECEBEU UMA CHAMADA COM PROFUNDO SENSO PROFÉTICO

a.  Ele deveria ser pai de muitas nações (Gn 15.5).
i.  Deus  superou  a  esterilidade  de  sua  esposa  (Gn 21 . 1 , 2 ).
ii.  Deus  assegurou a múltipla  descendência  de  seus filhos  (Gn 2 2 .1 7 ).
b. Ele deveria ser um antecessor humano e legal do pró­prio Messias  (Gn 2 8 .1 4 ).
i.  De Abraão veio Isaque e de Isaque veio Ja c ó (Mt1 . 2 ).
ii.  De Ja có vieram às  doze tribos  e  da tribo  de Judá veio Jesu s  (Gn 4 9 .3 -2 8 ).
c.  Ele foi chamado para ser o pai dos crentes (G1 3.9).
i.  Paulo declarou que os que atualmente creem, cre­em com'Abraão (G1 3.9).
ii.  Cada membro  da  Igreja  reconhece  sua  dívida  es­piritual  para  com  esse  incomum  servo  de  Deus, cuja  chamada  transcende  os  séculos  e  atravessa milênios  (Rm 4 .1 2 ).



As grandes renúncias de Abraão Gênesis 12.1-6



1.  ELE RENUNCIOU À SUA TERRA

a. Não é fácil renunciar à nossa terra.
i.  Por causa dos amigos (Gn 12.1a).
ii.  Por causa dos costumes  (Gn 12.1b).
iii.  Por causa das tradições  (Gn 12.1c).
iv. Por causa dos bens  (Gn 1 2 .ld ).

b.  Renunciar à terra significa alguns desafios.
i.  O desafio de trocar o conhecido pelo desconhecido (Gn 12.1a).
ii.  O desafio de trocar o certo pelo incerto (Gn 12.1b).
iii.  O desafio de trocar a estabilidade pela instabilidade (Gn 12.1c).
iv. O desafio de trocar o que se sabe pelo que se ignora (Gn 1 2 .ld ) .

2. ELE RENUNCIOU À SUA ESTABILIDADE

a.  Estabilidade resultante de sua idade (G n l2 .2 ).
i.  Abraão  era um  homem  de  75  anos  de  idade  (Gn 1 2 .4 ).
ii.  Esta não é mais uma idade para aventuras (Gn 12.3).
b.  Estabilidade resultante de suas possessões (Gn 12.5a).
i.  Abraão  era  um  homem  materialmente  próspero (Gn 12.5b).
ii. Ele teria que abrir mão de boa parte do que possuía para atender ao chamado de Deus  (Gn 12.5c)


3. ELE RENUNCIOU À SUA COMODIDADE

a.  A  comodidade  de  viver  na  terra  onde  nasceu  (Gn12.1a).
i.  Ali ele administrava sua vida e vivia em sua própria casa (Gn 12.1b).
ii.  Desde  que  saiu de  Ur dos  caldeus,  Abraão  nunca edificou  uma  casa,  pois  tudo  indica  que  sempre morou em tendas  (Gn 1 3 .1 8 ).
b.  A comodidade de viver entre todos os seus parentes.i.  Entre  os  parentes  não  se  costuma  sentir  solidão (Gn 12.1a).
ii.  Entre os parentes normalmente de nada se sente falta (Gn 12b).


4. ELE RENUNCIOU AO SEU FUTURO
a.  Teoricamente, ele não deveria viver muitos anos mais.
i.  Ele  estava  no  limite  médio  de  vida  descrito  por Moisés no Salmo 9 0  (SI 9 0 .1 0 ).
ii.  Mas  Deus lhe permitiu viver cem anos  depois  de sua obediência ao chamado divino  (Gn 2 5 .7 ).
b.  Provavelmente ele gostaria de morrer em sua própria terra (Gn 25.9).
i.  Mas sua terra era uma região de extrema idolatria (Gn 12.1a).
ii.  Abraão  jamais  voltou  a  pisar  em  Ur  dos  caldeus (Gn 12.1b).

5. ELE RENUNCIOU AO SEU DIREITO DE ESCOLHA(Gn 1 3 .8 ,9 )
a.  O  direito  de  escolher  o  destino  de  sua  viagem  (Gn 13.9).
i.  Deus  disse para Abraão  que depois lhe mostraria 
para onde ele deveria ir (Gn 1 3 .1 4 ).ii.  Deus  queria  que Abraão  aprendesse  e  praticasse 
viver pela fé (Gn 1 3 .1 5 ).
b.  O direito de escolher o roteiro de sua viagem (Gn 1 3 .15b).
i.  Cada novo lugar era sempre um ponto desconhe­cido (Gn 1 3 .1 7 ).
ii.  Deus  queria que Abraão  confiasse  Nele  como  Di­retor de sua vida e seu GPS espiritual (Gn 1 3 .1 8 ).

6. ELE RENUNCIOU À POSSE DE SEU FILHO(Gn 2 2 .1 -3 )
a.  Deus prometeu a Abrão que ele seria pai,  a despeito das circunstâncias contrárias  (Gn 15.4).
i.  Isto requeria muita fé (Gn 15.2).
ii.  Isto requeria muita esperança (Gn 15 .5 ).
b.  Depois  que  Isaque  nasceu  e  estava  crescido,  Deus  o pediu em sacrifício a Abraão (Gn 22.2).
i.  Deus  não  queria  que  Isaque  morresse  mediante um sacrifício  (Gn 2 2 .1 2 a ).




O Espírito Santo e SEU MINISTÉRIO para o crente



1.   Ele batiza cada crente (1 Cor. 12:13) -
O Espírito batizado nenhum crente  do Antigo Testamento.
2.   Ele  habita  permanentemente  cada  crente (Ef.  4:30)  -O  Espírito 
permanentemente habitado apenas determinados especialmente escolhidos 
do Antigo Testamento os crentes, Sl. 51:11; Lu.1:15.
3.   Ele preenche de forma permanente todos os crentes (que paga o preço da  submissão  constante  ao  Espírito,  Ef.  5:18)  -O  Espírito permanentemente  preenchido  apenas  especialmente  escolhido  crentes  do Antigo  Testamento  e  não  estava  disponível  para  o  preenchimento 
permanente de todos os crentes.
. 4   Ele sela cada crente (2 Coríntios 1: 22; Efésios 1: 13; 04:30)  -O Espírito  selado nenhum crente do Antigo Testamento.
. 5   Ele guia cada crente (Rm 8:14; Gal 5:18..)  -Veja Atos 08:26 e Atos 16: 6, 7, para exemplos concretos desta liderança.
6.   Ele ilumina as Escrituras para cada crente (1 Cor. 2: 14-16)
7.   Ele ora através de cada crente (Rom. 8:26, 27)

Deus O fez



Deus O fez "Senhor" 

(Atos 02:36) -Ele é agora o Senhor sobre a igreja, 
Rom. 14: 9, e durante o Milênio, Ele será o Senhor de toda a terra, Sl. 47: 7; 72: 8-11; Zech. 14: 9.

2   Deus O fez "Cristo"

 (Atos 02:36) -Ele, no sentido mais amplo, foi feito para  ser  o  Cristo  (o  "Ungido")  depois  de  Sua  ascensão,  Atos 02:36; Heb. 1: 9.

3.   Deus  O  fez  "Príncipe"

 (Atos 05:31) -Depois  Ele  subiu  e  teve  seu trabalho terreno aprovado pelo Pai, o Pai fez "um príncipe" ("Rei"). Ele o fará durante o governo do Milênio sobre Israel, Zech. 14:16, e através de Israel a toda terra, Sl. 72: 8-11; Isa. 60:12.

4.   Deus fez "Salvador"

 (Atos 5:31) -Depois de Seu retorno ao Pai, Deus o 
constituiu Salvador, Heb. 5: 9, o potencial salvador de todos os homens, Jo. 04:42; 1  Tim. 4:10. Ele  agora  é  o  Salvador  da  igreja,  Ef. 05:23; Tito 2:13; Ele um dia vai ser o Salvador real de Israel, Atos 13:23; e durante o  milênio Ele será o Salvador real de uma série de gentios, Zech. 2:11.

5   Deus O fez "Sumo  Sacerdote" 
(Heb. 5: 5, 6) -Depois de Sua ascensão, Cristo foi feito  ".  sacerdote  [a  Sumo  Sacerdote],  segundo  a  ordem  de  Melquisedeque"  Ele  agora  é  nosso  Sumo  Sacerdote,  Heb. 4:  14-16, que reza . para nós, Jo, capítulo 17, nos socorre, Heb. 2: 16-18, e intercede por  nós, Rom. 08:34; Heb. 7:25.
Cristo era principalmente um profeta enquanto Ele estava na terra; Ele 
é  principalmente  um  padre  durante  a  era  da  igreja; Ele  será 
principalmente um rei durante o Milênio.

6   Deus O fez "Cabeça da Igreja" 
(. Ef 1:22) -Ele é o Head; nós, a igreja, é Seu corpo, Ef. 01:22, 23.

7.   Deus  O  fez  "Primícias" 

(Cl 1:18) -Ele  tem prioridade e primazia sobre  a 
Nova Criação, da qual a Igreja é "as primícias", Tiago 1:18.




Sete coisas novas na vida de Abraão Gênesis 12




1. UM NOVO ESTILO DE VIDA

a. Viveu em Ur dos caldeus até os 75 anos de idade (Gi 12.4).
b.  Foi chamado por Deus para ser um peregrino (Hb 11.9)

2. UMA NOVA REVELAÇÃO DE DEUS

a.  Vivia  em  uma  terra  absolutamente  pagã  e  idólata, (Hb 12.1).
b. Alcançou a revelação do Deus único e verdadeiro (Gi 17.1).

3. UMA NOVA MANEIRA DE ANDAR

a. Aprendeu a andar na presença de Deus (Gn 17.1a).
b. Isto o conduziu a um genuíno aperfeiçoamento espiritual (Gn 17.1b).

 RECEBEU A INFORMAÇÃO DE UM NOVO NOME DE DEUS

a.  Ele conhecia os deuses adorados em Ur e adjacências (seu pai,  Terá,  era adorador dos  deuses  domésticos, os terafins).
b.  Deus lhe informou o Seu novo e verdadeiro nome (Gn 17.5: EL SHADAI, o Deus Onipotente).
.

 ABRAÃO RECEBEU UM NOVO NOME PARA SI PRÓPRIO

a.  Seu nome original era Abrão, que significa pai da altura (Gn 17.5).
b. Deus o mudou para Abraão, que significa pai de uma multidão de nações (Gn 17.5).
.

 UMA NOVA CONCEPÇÃO DE SI MESMO E DE SUA FAMÍLIA

a.  Chamou a si mesmo de pó e cinza (Gn 18.27).
I).  Foi  chamado  por  Sara,  sua  esposa,  de  meu  senhor (IPe 3.6).

UM NOVO TRATAMENTO RECEBIDO PELOS QUE O CONHECERAM

a.  Seus vizinhos reconheceram que Deus estava com ele 
(Gn 21.22).
b.  Foi reconhecido como príncipe de Deus (Gn 23.6.Veja 

também J o 8.33).

Cinco razões para olhar para Abraãc Isaías 51.2; Gênesis 13.1-5



1. ABRAÃO APRECIAVA SUBIR


a.  Subiu do Egito para o Neguev, um grande deserto (Gi 13.1).
b.  Subiu do Neguev para Betei, a casa de Deus (Gn 13.3)
c.  O ato de subir no mundo espiritual tem o sentido d 4, buscar as  coisas  espirituais,  anelar pela presença de Deus e deixar para trás o mundo de ilusões, fantasiae tentações (Cl 3.1).
d.  “Pedro  e  João  subiam juntos  ao  templo,  a hora  de oração, a nona” (At 3.1).
e.  Quem pertence ao Senhor, deve subir (Ed 1.3).

ABRAÃO ERA COMPROMETIDO COM SUA FAMÍLIA

a Ele viajou com sua mulher (Gnl2.5).
b Seu sobrinho o acompanhou (Gn 12.4).
c Ele defendeu seu sobrinho heroicamente, quando este foi levado cativo (Gn 14.14-16)

ABRAÃO POSSUÍA UMA RIQUEZA TOTAL

a.  A riqueza de Abraão era constituída basicamente de gado, prata e ouro (Gn 13.2).

1)  gado  significa  riqueza  para  o  corpo,  símbolo  de prosperidade  material.  Lembre-se  dos  exemplos de J ó e Salomão;
2) prata significa alegoricamente riqueza para a alma, visto  que  esse  metal  é  o  símbolo  da  redenção  na Bíblia. Veja isto nos livros de Êxodo, Levítico,  Rute e Salmos;
3)  ouro,  riqueza para  o  espírito,  visto  que  ouro  no mundo espiritual simboliza a Palavra de Deus que devemos possuir, ouvir, temer, obedecer, praticar e proclamar.
I).  Quanto à riqueza de Ló, era constituída de rebanhos, gado e tendas,  ou seja, não havia elementos de con­teúdo espiritual (Gn 13.5).

ABRAÃO NÃO SABIA VIVER SEM UM ALTAR


a. Ele subiu até o lugar do altar que fizera (Gn 13.4)

h. Seu altar foi edificado em cima (Gn 12.7).
c.  Altar era uma prioridade em sua vida (Gn 12.8;13.18; 22.9).
d.  Ló  não  edificou  altares,  e  por isso  ele  simboliza  as pessoas que dependem dos altares de outros.

5. ABRAÃO ERA UM ADORADOR
a. Diante do altar por ele edificado, ele invocou o nome do Senhor (Gn 13.4)
b. Abraão reconhecia o poder do Nome do Senhor (M 16.17; Pv 18.10; Êx 17.15).






Quatro características de Ninrode, um tipo do anticristo Gênesis 10.9,10





1.  NINRODE FOI O FUNDADOR DE BABILÔNIA (Gn 10.10)


a.  Babilônia simboliza o mundo espiritual em oposição a Deus (Ed 5.2).
b.  No livro do Apocalipse está descrita a futura queda d. grande Babilônia (Ap 14.8).
c.  Veja Isaías 14.14; Apocalipse 17.3-5.

2.  NINRODE EMPREENDEU UM GRANDEPROJETO CONTRA DEUS

a.  Ele liderou a construção da Torre de Babel, um projeto de audaciosa oposição e desobediência às  ordens  de Deus (Gn 11.2-4).
b.  A Torre de Babel deveria agrupar os homens em torno de um nome, e a Bíblia declara que o único nome que deve prevalecer entre os homens é o nome de Cristo.
c.  Veja Gênesis 11.3 e Daniel 11.36,37.

 NINRODE FOI UM PODEROSO CAÇADOR

a.  Do ponto de vista espiritual, o caçador simboliza Sata­nás, que deseja capturar a vida dos pecadores (SI 91.3).
I).  Ninrode foi um líder que tentou afastar seus contem­porâneos da Pessoa, da Presença e da Palavra de Deus.
c.  Leia Gênesis 10.9; Salmos 5.6; Daniel 2.37; Apocalipse 18.19.

NINRODE COMPORTOU-SE COMO UM HOMEM PODEROSO E ATUOU COMO SE FOSSE UM REI

a.  A expressão  poderoso diante do Senhor significa uma postura de desafio e confrontação (Gn 10.9).
b.  Todos  os precursores  do anticristo mencionados  na Bíblia tiveram a mesma postura para com Deus.
c.  Leia  Gênesis  10.10;  Daniel  11.36;  2Tessalonicenses 2.9; lCrônicas 1.10.


Conclusão:  A  chamada  geração  pós-cristã  está dizendo  abertamente:  “Adeus,  Senhor  Deus,  não precisamos mais de Ti”. É a mesma loucura vivida na época da construção da Torre de Babel. E ante aquela derrocada, e a iminente que presenciamos, a conclu­são é categórica: O homem não pode viver sem Deus.



Cinco pontos altos na vida de Enoque Gênesis 5.24







1. SUA COMUNHÃO COM DEUS


a.  A Bíblia declara que fomos criados para manter comu­nhão com Ele (1 Co 1.9).
b.  “Andarão  dois juntos,  se não  estiverem de  acordo?” (Am 3.3).
c.  Nossa  comunhão  com  Deus  deve  ser  espontânea, verdadeira e permanente (At 2.42).

2. SUA FÉ EM DEUS

a.  E impossível ao homem manter comunhão com Deus se sua fé não é robusta (Tt 1.1).
b.  A fé que Enoque alcançou, cultivou e desenvolveu esta descrita em Hebreus 11.4; ela se manifestou na Terra e alcançou os céus.
c.  Enoque  viveu  em  meio  a  uma  geração  totalmente incrédula,  mas  ele se manteve  como um homem defé, constituindo-se em um exemplo para cada crentede nossa geração (Gn 5.25)

3. SEU TESTEMUNHO EXEMPLAR


a.  Enoque deixou para a posteridade um testemunho da santidade (Gn 5.22a).
b.  Ele  deixou  um  testemunho  de  integridade  pessoa (Gn 5.24).
c. Ele deixou um testemunho de vitória.
1) vitória sobre o pecado (Gn 5.22).
2) vitória sobre o mundo (Gn 5.23).
3) vitória sobre a morte (Gn 5.25).

4. SUA PROFECIA (Jd 14)

a.  A Bíblia apresenta Enoque como um profeta de Deus (Jd 1.14).

b.  Embora tenha vivido  em  épocas  remotas,  pois  foi o sétimo depois de Adão, sua profecia foi preservada e está relatada no final do NT (No livro de Judas)  (Jd 1.14a).
c.  Embora ainda faltassem muitos séculos para a primei­ra vinda de Cristo, Enoque profetizou sobre a Segunda Vinda (Jd 1.14b).

5. SUATRASLADAÇÃO

a.  Enoque foi trasladado para não ver a morte (Hb 11.6)
b. Enoque foi trasladado antes do Dilúvio (Foi trasladado no capítulo 5; o Dilúvio ocorre no capítulo 7).
c.  Sua trasladação  se  tornou um  símbolo  do  arrebata mento da Igreja

Conclusão: A vida de Enoque nos deixa preciosas lições, grande inspiração e extraordinária motivação:
1) Os crentes que estiverem vivos no Dia do Arrebata­mento, como Enoque, não provarão também a morte.
2) Eles não provarão a Grande Tribulação (Ap 3.10).
3)  Como  Enoque,  eles  viverão  eternamente  com  o Senhor (SI 23.6; lT s 4.17).



Dez terríveis pecados de Caim Gênesis 4.1-10







1. O PECADO DE NÃO HONRAR OS IDEAIS DE SUA MÃE

a.  Eva cria que Abel seria um grande homem (Gn 4.2a).
b.  Certamente ela acreditava que Abel seria a pessoa que cumpriria a promessa de Deus descrita em (Gn 3.15).
c.  Caim foi uma grande frustração para Eva (Gn 4.8)

2. O PECADO DE NÃO ATENTAR PARA AS LIÇÕES DA VIDA DE SEU PAI

a.  Embora os filhos de Adão houvessem nascido à seme­lhança de seu pai,  Caim teve o privilégio de ser filho do  homem  que  foi  feito  à imagem  e  semelhança de Deus (Gn 5.3; Gn 5.1).
b.  Caim deve ter ouvido preciosas lições da experiência de seus pais, vividas no período anterior à Queda.
c.  Caim soube da Queda de seus pais e deve ter entendido claramente o que significa desobedecer a Deus e viver em desacordo com Ele (Gn 4.5b; Gn 4.6).
d.  Caim não levou em conta as lições aprendidas (Gn 4.9).

3.  O PECADO  DE NÃO OFERECER A DEUS UM CULTO ACEITÁVEL (Gn 4.5)

a. Deus não aceitou o coração de Caim (Gn 4.7a).
b. Deus não aceitou a oferta de Caim (Gn 4.7b).
c. Deus não aceitou as palavras de Caim (Gn 4.9b).

4. O PECADO DA IRA INCONTROLÁVEL (Gn 4.5)

a.  A Bíblia diz: “Irai-vos e não pequeis” (Ef 4.26).
b.  A Bíblia diz: “A ira do homem não produz a justiça de Deus” (Tg 1.20).
c.  A Bíblia diz: “Despojai-vos da ira” (Cl 3.8).

5. O PECADO DA PERDA DO AMOR (Gn 4.8)

a. Caim deixou de amar a Deus (Gn 4.5b).
b. Caim deixou de amar seu irmão Abel (Gn 48.8b).
c.  Caim deixou de amar seus pais e a si próprio (Gn 4.13).

6. O PECADO DE ODIAR SEU IRMÃO (Gn 4.8)

a.  A  Bíblia  ordena  que  os  irmãos  vivam  em  união  (Sl 133.1).
b.  A Bíblia ordena: “Amai-vos fraternalmente” (IPe 3.8).
c.  A Bíblia ordena que o amor permaneça (Hb 13.1).

7.  O PECADO DO HOMICÍDIO (Gn 4.9)

a.  O quarto mandamento da Lei, dada por Deus por inter­médio de Moisés, estabelece: “Não matarás” (Ex 20.13).
b.  Deus declarou formalmente a Caim: “O sangue do teu irmão clama desde a terra” (Gn 4.10).
c.  Caim nunca demonstrou arrependimento pelo seu ato brutal (Gn 4.9).

8. O PECADO DA MENTIRA (Gn 4.10)

a.  Quando Deus lhe perguntou onde estava seu irmão,
Caim respondeu: “Não sei” (Gn 4.9).
b.  A Bíblia diz que os mentirosos ficarão de fora da cidade celestial (Ap 22.15).
c.  Jesu s declarou que Satanás é o pai da mentira, logo os mentirosos são seus filhos seguidores (Jo 8.44,55).

9. O PECADO DE TENTAR FUGIR DA PRESENÇADE DEUS (Gn 4.16)

a. Adão tentou e não conseguiu (Gn 3.8-10).
b. Caim tentou e não conseguiu (Gn 4.10,11).
c. Jonas tentou e não conseguiu (Jn 2.1-4).
d. O pecado da irreverência (Gn 4.9).

10. O PECADO DE DESPREZAR UMA OPORTUNIDADE OFERECIDA POR DEUS (Gn 4.7)

a. O mancebo rico desprezou sua oportunidade e perdeu-se para sempre (Mc 10.17).
b. Jud as desprezou sua oportunidade e perdeu-se para sempre.  (At 1.15-20).
c.  Caim  desprezou sua  oportunidade  e perdeu-se  para sempre. (1 J o 3.12; J d 11).

Sete grandes erros de Adão e Eva Gênesis 3.1-7




1. ERRARAM QUANDO SE AFASTARAM DE DEUS(Gn 3.8)


a.  Afastaram-se da presença de Deus, Sl 16.11.
b.  Afastaram-se da Palavra de Deus. Sl 119.97.
c.  Afastaram-se do plano de Deus, como o profeta Jonas. J n 1 e 2.

2.E RARAM QUANDO DERAM OUVIDOS À SERPENTE (Gn 3.1-4).


a.  A serpente era um agente de Satanás (Gn 3.1)
b.  A Bíblia chama Satanás de a velha serpente(Ap 20.2).
c.  A serpente é um dos mais perigosos animais (Sl 58.4)

3. ERRARAM QUANDO ACEITARAM A DISTORÇÃO DA PALAVRA DE DEUS (Gn 3.4,5)

a. A Palavra de Deus é fiel (lTm 4.9).
b. A Palavra de Deus é verdadeira (Jo 17.17).
c. A Palavra de Deus não pode ser anulada (Jo 10.35).

4. ERRARAM QUANDO DESOBEDECERAM ADEUS (G n 3.6)

a. Toda desobediência é pecado (ISm 15.23a).

b. Toda desobediência é punida por Deus (Cl 3.6).
c.  Toda  desobediência  produz  trágicas  consequências (Hb 4.6).

5. ERRARAM QUANDO TENTARAM INOCENTARSE DE SEU PECADO (Gn 3.12,13)

a. Não foram fiéis (Ap 2.10).
b. Não foram honestos (Pv 19.5).
c. Não foram sinceros (Fp 2.15).

6. ERRARAM QUANDO BUSCARAM RECURSOS PRÓPRIOS PARA TENTAR COBRIR SUA NUDEZ (Gn 3.7)

a. Folhas de figueira secam facilmente ao sol (Gn 3.7).
b.  Folhas  de figueira simbolizam recursos,  doutrinas  e
religiões humanos.
c.  Folhas  de  figueira precisam sempre  ser substituídas  por aventais feitos por Deus (Gn 3.21).

7. ERRARAM ATÉ QUE DEUS LHES OFERECEU ROUPAS POR ELE MESMO PREPARADAS (Gn 3.21)

a.  Somente Deus pode perdoar o pecado do homem (1 J o2 . 1 , 2)

b.  Somente Deus pode anular o pecado do homem (Jo 1.29).
c.  Somente Deus pode redimir o pecado do homem (Ef 1.7; IPe 1.18,19).







O que aconteceu a Adão quando Deus lhe apresentou Eva Gênesis 2.2



1. ELE VIU TERMINAR SUA SOLIDÃO

a.  Deus  disse que não era bom ao homem permanecer sozinho (Gn 2.18).
b. Nós fomos criados para a comunhão com Deus e com as outras pessoas (ICo 1.9; SI 133.1).
c.  Um homem é um animal gregário e é muito natural que viva em sociedade (Rm 12.5).

2. ELE RECEBEU DE DEUS UMA AJUDADORA
a.  As limitações de cada pessoa neste mundo fazem com que  ela  sempre  dependa  de  outra(s)  pessoa(s)  para o(a) ajudar (Ec 4.9,10).
b.  Os  grandes  homens  da  Bíblia  precisaram  de  bons ajudadores (Gn 24.2; J s 1.1).
c.  O próprio Jesus chamou 12 para que com Ele estivessem ao seu lado durante Seu ministério terreno (Lc 6.12-13).

3. ADÃO OBTEVE UMA COMPANHEIRAPARA O SEU PRAZER
 a.  O  casamento  deve  ser uma  fonte  de  prazer para  o corpo e para a alma do casal (Ec 4.9).
b.  O casal crente deve exercitar seu prazer como pessoas humanas e também como filhos de Deus (Ec 1.2).
c.  O  casal  crente  deve  vencer  todas  as  tentações  do inimigo, as quais pretendem basicamente destruir o prazer de suas vidas (Hb 13.4).

4. ADÃO VIU EM EVA ALGUÉM QUE SE PARECIA COM ELE

a.  Ambos eram pessoas humanas (Gn 1.27).
b.  Ambos possuíam sentimentos humanos (Gn 1.28).
c.  Ambos podiam relacionar-se com Deus (Gn 3.8).

5. DEUS LHE DEU A COMPANHEIRA PARA PROCRIAÇÃO (Gn 1.28).

a.  Isto fala da importância do casamento (Gn 2.24).
b.  Isto fala da importância da família (Gn 4.1,2).
c.  Isto fala da responsabilidade de cada casal diante de
Deus e do mundo (Ef 5.28).

Sete grandes privilégios de Adão Gênesis 1.26,27



I.  ADÃO FOI O PRIMEIRO HOMEM A EXISTIR

a.  Nunca houve outro homem antes dele (Ml 2.10).
b.  As Escrituras Sagradas declaram exaustivamente que a raça humana teve seu início em Adão (Gn 1.26-28; ICo 15.45; lT m 2.13).
c.  Não há, e não haverá, portanto, outra raça humana à parte de sua descendência.

2 FOI FORMADO PESSOALMENTE POR DEUS

a.  Foi formado artesanalmente, pelas mãos de Deus (Gn 2.7a).
b.  Foi formado com características únicas (Gn 2.7b).
i.  E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança (Gn 1.26).
E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou (Gn 1.27).
c.  Foi formado do pó da terra (Gn 2.7), daí o fato de ter sido chamado de Adão. A origem do nome Adão é o hebraico Adam,que significa “homem”.  Essa palavra
está intimamente ligada à palavra hebraica para ter­ra, adamah.Esse nome também está associado a outra palavra hebraica  ‘adam,que significa ser vermelho,da cor da terra, ou do barro  (Dicionário de Nomes Pró­prios).
d. Foi formado com a possibilidade de viver para sempre.
i.  O decreto de sua morte veio depois de seu pecado (Gn 3.19).
ii. Esse decreto se estendeu a todos os homens  (Rm 5.12).
e.  As  únicas  pessoas  que  escaparam  da  morte  foram
Enoque e Elias., Gn 5.24; 2 Rs 2.10-12.

3. FOI O ÚNICO HOMEM QUE EXISTIU, SEM HAVER NASCIDO

a.  Ele foi formado adulto (Gn 1.27).
b.  O processo do nascimento dos demais seres humanos surgiu a partir de Adão. (1.28a).
c.  Toda a humanidade descende dele (At 17.26)

4. ANTES DA QUEDA, DESFRUTAVA DO PRIVILÉGIO DA VISITAÇÃO E DA COMPANHIA
DIÁRIA DO CRIADOR (Gn 2.16-25)

a.  Isto fala de sua comunhão com Deus (Gn 3.8a).
b.  Isto  fala  da  oportunidade  de  amadurecer  diante  de Deus (Gn 3.8a).
c.  Isto fala de sua alta responsabilidade diante do privi­légio concedido por Deus (Gn 1.28a).

5. RECEBEU DE DEUS EXPRESSAMENTE A ORDEM PARA DOMINAR (Gn 1.27)

a.  Sobre os peixes do mar (1.28).
b.  Sobre as aves dos céus (1.28).
c.  Sobre o gado (1.28).
d.  Sobre toda a terra (1.29).
e.  Sobre todo réptil que se move sobre a terra (1.30).

6. RECEBEU DE DEUS A INCUMBÊNCIA DE DAR NOMES A TODOS OS ANIMAIS (Gn 2.19,20)

a.  Isto  prova  que  ele  era  dotado  de  uma  inteligência invulgar (Gn 2.19).
b.  Isto contraria a teoria da evolução, pois demonstra que desde sua formação Adão dispunha de plena sabedoria (Gn 2.20).
c.  Por outro lado, a Bíblia menciona que ele não soube vestir a túnica que Deus preparou para ele, visto que o próprio  Deus,  o vestiu  (Gn 3.21),  numa indicação clara  de  que  o  pecado  subtraiu  drasticamente  sua fulgurante inteligência.

7. TORNOU-SE O PRIMEIRO TIPO DA PESSOA DE CRISTO (ICo 15.45-47)

a.  Ele foi o primeiro Adão (1.26).
b.  Ele é teologicamente identificado como cabeça federal  da raça humana (Gn 1.27a).
c.  Jesu s é chamado de Último Adão (ICo 15.45).
d. Ele é reconhecido como Cabeça federal da Nova Raça,
a Igreja (Ef 1.22; 5.25).









OS PASSOS PARA A SALVAÇÃO





A.  A conversão (SI 51.12,13).


Este conceito envolve dois aspectos:
1.  O  arrependimento  (um  desviar-se  de) (Mt 9.13).
Isso significa uma mudança de ideia voluntária  e  sincera por parte  do pe­cador, o que o leva a desviar-se do seu pecado.
2.  A fé (um voltar-se para) (At 20.21; Rm5.1).
Isso significa uma mudança de ideia voluntária e sincera por parte do peca­dor, o que o leva a voltar-se para o Sal­vador.

B.  A substituição (1 Pe 3.18).


Uma referência àquele ato pelo qual al­guém ou alguma coisa substitui ou coloca-se no lugar de outro alguém ou alguma coisa.

C.  A reconciliação (2 Co 5.18,19).


Cessar as hostilidades entre duas partes ofendidas para transformar a inimizade na amizade, o que  normalmente  é  efetivado por um mediador.

D.  A propiciação (1 Jo 4.10).


Tornar favorável, satisfazer, aplacar. Em termos bíblicos, isso significa que a morte de Cristo satisfez plenamente as justas de­
mandas de um Deus santo para com os ho­mens pecadores. N a verdade, isso significa o  afastamento  da  ira  por  meio  da  oferta 
apropriada.

E.  Remissão.


Este  conceito  envolve  um  significado duplo:
1.  Abolir (Hb 9.26 SBB).
2.  Perdoar (Ef 4.32).
F.  Redenção.
Este  conceito  envolve  um  significado triplo:
1.  Pagar um resgate (Hb 9.12).
2.  Remover de um mercado de escravos (Gl 3.13).
3.  Efetuar  uma  libertação  plena  (Rm3.24).

G.  Regeneração.


Uma referência àquele processo pelo qual o Espírito Santo de Deus, por meio de um segundo nascimento, proporciona, ao peca­dor que crê, um novo nascimento (Jo 3.3).

H.  Imputação.


Imputar é o ato pelo qual uma pessoa acrescenta algo bom ou mau à conta de ou­tra pessoa.

1.  Um  exemplo  de  imputação  negativa (Rm 5.12).

2.  Um  exemplo  de  imputação  positiva (Rm 4.3).

Por que as pessoas estão per­didas?





a.  Por causa da sua rejeição da revela­ção bíblica  [SI 19.1; At 14.17; Rm 1.19,20],
b.  Por causa  da  sua  desobediência  à própria consciência [Rm 2.14-16],
c.  Por  causa  do  seu  relacionamento com o mundo [Ef 2.2; Tg 4.4; 1 Jo2.15,16],
d.  Por  causa  do  seu  relacionamento com Satanás  [Jo 8.44; 2 Co 4.4;  1 Jo 3.10].
e.  Por  causa  do  seu  relacionamento com o pecado [Gn 2.17; Ec 7.20; Jr 17.9; Mc 7.20-23; Rm 5.12],

Trombetas


1. As  duas  trombetas  de  prata  de  Moisés  (Nm 10. 2 ).
2. As sete buzinas de carneiro de Josué (Js 6.4).
3. A trombeta de Eúde (Jz 3.12-30).
4. As 300 buzinas de Gideão (Jz 7).
5. As trombetas de Davi (2 Sm 6.15).
6. A trombeta de Zadoque (1 Rs 1.39).
7. As trombetas de Salomão (2 Cr 5.13).
8. As trombetas de Esdras (Ed 3.10).
9. A trombeta do arrebatamento da Igreja (1  Co 15.52; lT s 4.16).
10. As sete trombetas do juízo (Ap 8.2).
11. A  trombeta  para  o  reagrupamento  de  Israel (Mt 24.31).

Distância


Do mais curto ao mais longo.
1. Dedo (Jr 52.21).
2. Palmo [handbreadth]  (1  Rs 7.26; SI 39.5).
3. Palmo [ span] (Êx 28.16).
4.  Côvado (Gn 6.15; 1 Sm 17.4; Et 5.14; Dn 3.1).
5. Passo (2 Sm 6.13).
6.  Braça (At 27.28).
7.  Cana (Ez 42.16; Ap 21.15).
8. Estádio (Lc 24.13; Jo 6.19; Ap 14.20; 21.16).
9.  Caminho de um sábado (At 1.12).
10. Milha (Mt 5.41).
11.  Caminho de um dia (Lc 2.44).